O Café do Fantasma Azul

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Histórias de Natal - XI Concurso de Contos



Divulgados os vencedores do XI Concurso Histórias de Natal

Foi um sucesso a festa de encerramento do XI Concurso Histórias de Natal!
Segue a classificação das três categorias, que foi divulgada no Palácio de Cristal em Petrópolis, numa festa cultural natalina.

Crianças: 
Primeiro lugar: Ryan Azevedo Aguiar (“A semente do Natal”)
Segundo lugar: Isabella Oliveira Bastos Dias (“Papai Noel ou Deus?’)
Terceiro lugar: Julia de Assunção Tomaz (“Um bom senhor que caiu do céu”) / Yago Menezes Jardim (“Um Natal especial”)
Quinto lugar: João Pedro Rodrigues Moreira dos Santos (“Natal e a alegria que brota da Fé”)

Jovens: 
Primeiro lugar: Gabriel Vítor Alves Silva (“O perdão que nasce da manjedoura”)
Segundo lugar: Helena Lopes Giachini (“O essencial”)
Terceiro lugar: Letícia Sousa de Andrade Silva (“O Natal e a alegria que brota da fé”)
Quarto lugar:  Catharina Deister (“O predileto de Deus”)
Quinto lugar: Isabella Geraldes (“A menina que não acreditava no Natal”)

Adultos: 
Primeiro lugar: Rodrigo Castellani (“Quando a luz brilha nas trevas”)
Segundo lugar: Claudia Cristina Guelfi Faga (“Se dois irmãos numa noite de Natal…”)
Terceiro lugar: David Moisés Barreto dos Santos (“A árvore dos bons frutos”) / Giordana Maria Bonifácio Medeiros (“O verdadeiro significado do Natal”)
Quinto lugar: Cassia Maria Flora Fávero (“O velho e o menino numa noite de Natal”)

http://www.historiasdenatal.com.br/divulgados-os-vencedores-do-xi-concurso-historias-de-natal-em-festa-cultural-natalina

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Concurso de Narrativas - Morro Reuter - RS

Aconteceu em outubro de 2013 o Concurso de Narrativas "A magia do circo histórias faz lembrar"

Obtive o 1º lugar, categoria Escritor, com o conto "O circo, eu, meu pai e minha mãe"


domingo, 3 de novembro de 2013

Poder e Melancolia

Hoje de manhã acordei cedo. Fui até o morro do Maluf ver o mar lá de cima. Encostei-me à mureta e tirei as sandálias. E então, ele me saudou furioso: jogava-se contra as pedras, gritava blasfêmias ao vento, bradava injúrias às poucas pessoas que o olhavam com espanto.



De onde vinha tanta força e resistência, tanto ir e vir de emoções? Das profundezas de seu ódio? Ou das entranhas de sua dor mais lancinante? Levantava-se enérgico no ar e espirrava seu rancor em ondas ao céu, qual baleia sufocada urgente emerge para respirar. As ondas jorravam nas alturas e estilhaçavam-se em cores e pingos de chuva que, ao descerem raivosas, avolumavam-se e voltavam a lavar as pedras, a mureta, as almas.



Que revolta do mundo! Oh! Véu d’água a debelar-se em tão premente movimento – infinito e hipnótico. Destoava sua irritação branca e ressentida do azul calmo do céu, da hesitação das criancinhas a pisar nas areias molhadas, da paz destemida das gentes que seguiam pela praia, alheias às turbulentas águas, à tão melancólico sentimento. Até a mim que pairava no tempo parada à mureta seu poder e mágoa assustaram.



O embalo constante das altas ondas me notou ali. Pressentiu o medo, a fragilidade e a solidão. Então, o mar revolveu-se mais uma vez e me enviou espumas e respingos que alcançaram meus olhos como um convite para sua dança de morte.



Depressa afastei-me da mureta e vesti as sandálias. Saí de sua triste e poderosa presença sem lançar-lhe um olhar de despedida.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Livro de Graça na Praça - 22 de setembro de 2013 *

Uma ação coletiva em benefício do indivíduo

 

O que aconteceu ali,
Assim que surgiu o Sol
No céu de Belo Horizonte?
Uma praça cheia de gente
Por um livro de graça.


Quem organizou essa festa?
Alguém que se preocupou,
Que plantou sonhos e
Colheu – na Liberdade –
A liberdade de realizar.

E para lá foram as Marias 
e seus adjuntos
A Thaís com “h”
A Michelle com dois “l's”
A Gracelinda, 
mesmo nome da avó,
O Roberto, pai da Roberta,
O de nome difícil de escrever,
Por isso o cartãozinho.
E a mais simples Sofia.
Aliás, a sabedoria é simples
E se dá de graça para quem a busca
Com coragem e verdade.


A fila que se formou não era por
Comida, por bolsa-whatever,
Por senha do INSS,
Mas por um livro carregado
De sementes de letras e ideias
De realidade e fantasia
De Saber e Graça – alimentos
Indispensáveis ao espírito livre!

* Mais de vinte mil livros foram distribuídos no projeto Livro de Graça na Praça, idealizado por José Mauro Lourenço da Costa. 
O Livro, cujo o título "O começo e o Fim" foi também tema do concurso, teve a participação de vinte e quatro autores, dentre eles, os três vencedores do Concurso Literário do Sistema Fecomércio Minas, Sesc Minas, Senac Minas "Livro de Graça na Praça - 2013, que foram: Cláudia Cristina Guelfi Faga, com o conto "E o meio? Eles não sabem que o meio é fundamental no conto e no sanduíche?"; Fabiano A. Salim, com o conto "O Visitante" e Éder Rodrigues da Silva, com o conto "Poslúdio para acalentar o último poente".

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Impressionismo

Centro da cidade de São Paulo. Poderia descrever cada coisa enquanto caminho até a escola de cabeleireiros, e fazer como um pintor que joga cores numa tela e diz que aquele caos incompreensível é arte.

Subo três lances de escada rolante no metrô República. E topo com panfletos de promoções, de celular, de maquiagem. Outros pedem esmolas, e outros dormem enrolados em cobertores. Esses dormem durante o dia, no sol de rachar, sem saber que tantos outros andam de um lado para outro, atravessam a rua, cruzam com passos apressados diferentes caminhos, sem tropeçar no pavimento estraçalhado pelo uso incessante dos transeuntes que estão acordados. 

Como tem gente naquele trecho até a Rio Branco! Às vezes acho que toda São Paulo se reune todos os dias ali. Para onde vão aquelas pessoas de todas as tribos e cores, tamanhos e níveis, larguras e velocidades? Não sei. Os Beatles já se perguntaram também. E acho que a resposta não interessa tanto. O que interessa é o movimento da massa informe, indo e vindo, como se uma batedeira invisível jogasse-nos de um lado a outro, sempre e outra vez. 

Uma buzina, um cigarro atirado no chão, a seta do carro, o arranque do ônibus, o guarda de trânsito que auxilia um passante, o cuspe no chão, a conversa atrás de você. Nada destoa do caos que se apresenta, regado a cheiros podres, ventos frios de dentro dos prédios duvidosos, sujeiras que andam juntas, acompanhando os passos incertos das pessoas todas daquele trecho de avenida.

Tem gente que vê nisso poesia. Eu tenho nojo. Aquela mulher com placa de "vendo ouro" traz o banquinho e se senta, todos os dias, naquele lugar, bem no meio do meu caminho. Eu tenho que desviar. Dou uma olhada no fundo da rua. Lá tem o Teatro Municipal. Um dia vou querer conhecer os túneis que disseram haver ali. Mas sei que não vou nunca achar uma brecha no tempo para isso.

Eu também corro de lá para cá sem parar. Eu também esbarro meu braço molhado, cruzo minha cara amarrada, nos braços e caras de outras pessoas. Eu também me pergunto para onde estou indo, por que faço tudo o que faço. E mudo meus olhos para a árvore centenária no meio da Praça da República. Ela é linda, frondosa, sobretudo, silenciosa. Ela fica ali a embelezar, a testemunhar o caos, a me salvar do nojo da minha existência e das perguntas que faço e que sei que nunca vão ter resposta.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Concurso Literário "Histórias de Trabalho" - Selecionados

Conheça os selecionados do concurso Histórias de Trabalho que participarão da coletânea 2013, com lançamento na Feira do Livro de Porto Alegre:

Histórias Inventadas:
Afonso Cláudio Machado do Carmo - VASO DE PLANTAS
Ana Maria Souto de Oliveira - PRECÁRIAS
Bethania Pires Amaro - A VELHA PAIXÃO BRASILEIRA
Cláudia Cristina Guelfi Faga - DÁ-ME UM LIMÃO E EU TE DOU UMA...
Gabriela Martins Cunha - É UMA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA
Hélio Carlos Brauner - ENTREGA
José Paulino Júnior - CUSTO DE VIDA
Leonardo Colucci - CAFÉ FRIO
Luis Antonio Martins Mendes - CHÃO DE ESTRELAS
Sirlene Maria Vieira - O MENINO DAS BALAS

Histórias Verdadeiras:
Andre Telucazu Kondo - O HOMEM NO BANCO DE TRÁS
Bruna Silvestrin - HISTÓRIA DE UMA TECELÃ
Carlos Eugênio Costa da Silva - RELATO DIÁRIO DE ALGUM DIA NA VIDA DE UM BOLSISTA
Claudio Eurico Lopes Monteiro - O MAPA, A NOITE, UM SKATISTA
Gabriel Araújo dos Santos - GUIA DE MASCATE
Jose Eugenio Borges de Almeida - ZÉ CACHAÇA
Márcio Francisco Rodrigues Filho - 5 PILA
Ricardo José de Souza Almeida - ALMOÇANDO COM AFRODITE
Schleiden Nunes Pimenta - SAPATOS LIMPOS
Ubiratan Moreno Soares - ANO BOM  

Poesia:
Andre Telucazu Kondo - COVEIRO
Ane Alcione Sefrin Arduim - O LAMENTO DO GEÓGRAFO
Beatriz Teresinha Balzan Barbisan - CABELEIREIRA
Daniel Fonseca Fernandes da Silva - FARDO
Edweine Loureiro da Silva - TERRA NOSSA
Francisco Antonio Cavalcanti - SEM CANSAÇO E RALAÇÃO
Giovanna Carla Silva de Oliveira - SURTO
Mara de Fátima Rodrigues Faturi - GARI
Ricardo Mainieri - QUIMERA
Sérgio Luís da Silva Vargas - ROTINA

Ensaio Acadêmico:
Arilson dos Santos Gomes - CARLOS SANTOS E A ASSERTIVA DOS TRABALHADORES DA PESCA NO RS (1941-1959)

Fotografia:
Jorge André Diehl - DESCANSO ABENÇOADO e CARREGADOR DO PORTO DE MANUAS
Mario Corrêa Evangelista Junior - LAVAÇÃO
Martha de Leão Lemieszek - ESPERANDO O FREGUÊS 1, ESPERANDO O FREGUÊS 2 e MULHER NA CONSTRUÇÃO.
Rejane Carreta Dominguez - DEPOIS DA PROCISSÃO e REFLETINDO A CATEDRAL
Roberto Machado Alves - SILHUETAS e ALTA COSTURA

Histórias em Quadrinhos/Cartum:

Elmar Jose Silveira da Rosa Junior - TITA INFÂNCIA PERDIDA
Jorge Luis Cardoso Pereira - O PORTADOR DE NOTÍCIAS


fonte: coordenaçaodolivro.blogspot.com.br

terça-feira, 30 de julho de 2013

XXI Concurso de Poesia e Prosa da Academia de Letras de São João da Boa Vista

Temos o prazer de informar a classificação de:

1º Lugar (PROSA de 40 A 59 ANOS)

com o conto

 “Bibelô” 



Nome: Cláudia Cristina Guelfi Faga

Pseudônimo: Sayonara da Silva

Parabéns! Abraços!
Silvia Ferrante - Coordenadora do XXI Concurso de Poesia e Prosa

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Divulgação do resultado do Concurso Literário "Livro de Graça na Praça"

Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos divulga o resultado do Concurso Literário Livro de Graça na Praça

Os vencedores participarão do evento Livro de Graça na Praça em 22/09 e terão os seus contos publicados

BELO HORIZONTE (15/07/2013) - O Concurso Literário, promovido pelo Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos, apresenta os três vencedores desta edição: Cláudia Cristina Guelfi Faga, com o conto "E o meio? Eles não sabem que o meio é fundamental no conto e no sanduíche?" ; Fabiano A. Salim, que concorreu com o conto "O Visitante" e Éder Rodrigues da Silva, que participou com o conto "Poslúdio para acalantar o último poente". O material foi analisado por profissionais ligados à literatura, com apoio da Academia Mineira de Letras, observando os critérios de objetividade, clareza e originalidade.

Além de participarem do evento Livro de Graça na Praça, em 22 de setembro, na Praça da Liberdade, os vencedores terão os seus contos publicados na edição 2013 do Livro de Graça na Praça. Segundo José Mauro Lourenço da Costa, idealizador da iniciativa, uma das novidades da edição deste ano é a parceria com a Imprensa Oficial, por meio da qual serão distribuídos também livros infantis. Serão 10 mil livros, de 25 autores, além de três mil cordéis do poeta cearense Geraldo Amâncio, em comemoração aos seus 50 anos de carreira. “No total, serão cerca de 23 mil livros, a maior quantidade já distribuída até hoje em uma edição do evento”, comenta José Mauro.

SOBRE O LIVRO DE GRAÇA NA PRAÇA

O objetivo do projeto, realizado há mais de dez anos em Belo Horizonte, é incentivar a produção literária e promover a aproximação do público leitor com os escritores mineiros, além de proporcionar a distribuição gratuita de livros em praça pública. A iniciativa é do autor José Mauro Lourenço da Costa e é mantida com o apoio de entidades como o Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos, e de empresas privadas.

SERVIÇO
Evento: Divulgação resultado do Concurso Literário - Livro de Graça na Praça

fonte: www.sescmg.com.br

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Prêmio Cataratas de Contos e Poesias 2013

Aconteceu dia 27/04/2013 a entrega do Prêmio Cataratas de Contos e Poesias edição 2013 no Lual das Cataratas. Houve entrega de troféus e certificados, além do prêmio em dinheiro para os três primeiros colocados em cada categoria.



O prêmio maior desta noite foi o clima de alegria, a Lua cheia iluminando as Cataratas do Iguaçu, desenhando um inesquecível arco-íris prateado na noite esplêndida. Inesquecível!

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Sob o Sol da Transilvânia

 No mês de janeiro de 2013, na São Paulo abafada e chuvosa, o Sesc - Carmo ofereceu uma Oficina de Contos de Terror, coordenada pela escritora Rosana Rios. Baseados na novela de Bram Stoker, "Drácula", os contos tinham que ser ambientados na Transilvânia do século XIX.

Além de ter achado uma ótima iniciativa do Sesc em oferecer oficinas de textos, e especialmente na linha do fantástico, achei que seria um grande desafio escrever sobre Vampiros, um tema tão explorado nos dias de hoje.

Então, em  Sob o Sol da Transilvânia, subverti alguns conceitos e imagens arraigadas ao imaginário e coloquei um clima quente, insuportável, com um enorme pântano pestilento num canto remoto da Transilvânia Construi um vampiro fora do cliché, escondido, apagado, que trabalha na surdina, mas eficaz como todo bom vampiro.

Para conferir os contos dos outros colegas escritores: aqui, O conto Desde que me lembro, é do meu filho que também participou da oficina.